Notícias 2015

INMISERICORDES NACIDOS EN EUROPA

Dezembro 2015, por Javier Urra

 

¿Cuál es la causa de que tantos jóvenes se enrolen en la llamada Guerra Santa, que pasen a formar parte del Estado islámico (Daesh)?

 

Capaces de cometer atroces atentados yihadistas . Capaces de inmolarse.

 

¿Qué lleva a en un breve espacio de tiempo, adquirir una radicalización tan brutal?, a mostrarse tan violentos.

El “Asesino Nato” es solo el título de una película de cine. Los monstruos no nacen, se hacen.

 

Tenemos jóvenes que no se sienten bien, que ocultan un vacío existencial.  Ahora sin razón para vivir, tienen una causa para morir. Por Alá, la muerte te convierte en mártir.

 

Hay adolescentes violentos que buscan una causa donde poder vomitar su náusea.

HABLEMOS A NUESTROS HIJOS

Dezembro 2015, por Javier Urra

 

 

El reciente atentado en París supone un impacto en los niños, como nos acontece a los mayores. Ellos, a veces no preguntan, pero trasmiten con sus dibujos y conductas nerviosas.

 

Hemos de adelantarnos, sentarnos formalmente y hablarles con respeto, con seriedad, conscientes de que los niños entienden y sobre todo captan.

 

Los niños del mundo, nuestros niños precisan de seguridad, necesitan amor, y noticias tan terribles les generan interrogantes y devastación. Sus dibujos con trazos rojos llenos de bombas, estallidos, disparos, así lo reflejan.

MESTRADO EM PSICOLOGIA FORENSE

Julho 2015

 

Há, assim, um mestrado (acreditado) em Psicologia Forense a sul do Mondego!

 

Significa muito para todos os estudantes e docentes que, desde 1997, trabalham nesta área. Primeiro, em 2014, o trabalho sem horários da Maria Louro, da Alexandra Figueira, do Paulo Sargento, que se ocupou da versão em ingles, e meu; na resposta de Junho, a Maria e eu, na redação do texto científico, e o Paulo, traduzindo "on line", demos o litro! Mas valeu a pena! Foram horas de angústia que a Maria e eu passámos, nalgumas noites até às 5 horas da manhã, absolutamente sozinhos e entregues a esta tarefa, para que o mestrado alcançasse acreditação. Agora, este mestrado pertence aos estudantes! A trabalheira que tivemos é oferecida àqueles e àquelas que se querem tornar psicólogos forenses, a sério, com grau académico e sem serem psicólogos doutra coisa qualquer que, por mal empregados, se intitulam forenses! A ULHT está pronta para vos graduar!

PSIJUS ESTABELECE PROTOCOLO COM CARLOS PINTO DE ABREU E ASSOCIADOS, SOCIEDADE DE ADVOGADOS, RL

Julho 2015

 

A PSIJUS e a CARLOS PINTO DE ABREU & ASSOCIADOS celebraram, em 9 de Julho transato, um protocolo de cooperação que prevê a realização de estágios de estudantes do mestrado em Psicologia Forense da ULHT naqueles escritórios, bem como de estágios de Verão e profissionais, com especial ênfase nas áreas dos direitos humanos, do Direito Penal e dos Direitos da Família, das Sucessões e dos Menores.

 

Cumulativamente, a PSIJUS realizará, uma ação de formação anual em benefício da sociedade de advogados, aberta a todos os seus membros e a convidados que entenda incluir no programa formativo.

 

Todos os estágios serão orientados na sociedade pela psicóloga forense Maria Cunha Louro.

 

A gestão deste convénio cabe, naturalmente, à sociedade CARLOS PINTO DE ABREU e à Direção da PSIJUS.

 

Estiveram presentes neste ato – que se celebrou  expressivamente na data do 14º aniversário da fundação desta Associação – o Dr. Carlos Pinto de Abreu, que firmou o protocolo, e as Advogadas Dr.ªs Sofia Monge e Inês Carvalho Sá; pela PSIJUS, assinaram o acordo a Vice-Presidente, Maria Cunha Louro, e o Presidente, Carlos Alberto Poiares.

 

Trata-se do primeiro protocolo do género subscrito pela Associação, a qual garante assim que os estudantes da ULHT possam passar a beneficiar de contacto regular  com a justiça, num dos seus dispositivos de maior impacto, a advocacia, preparando-os para as tarefas da Psicologia Forense, garantindo-se a supervisão psicoforense e juspsicológica.

Maria Barroso   (1925-2015)

Julho 2015

 

Na morte da Doutora Maria Barroso, a PSIJUS associa-se à homenagem que lhe é devida.

 

Personalidade marcante da vida portuguesa, foi uma resistente de sempre, antifascista que nunca se vergou e a quem a censura e a polícia política tudo fizeram para silenciar, arredando-a dos palcos e do ensino.

 

Ao longo da vida, manteve-se uma Mulher de causas e de profundas convicções, nas dimensões social, cultural e de intervenção, em várias qualidades, desde a cívica e política à religiosa.

© 2014 PSIJUS.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now